Home

20120320-020458.jpg

Quer coisa pior que qualquer coisa se acabar no tédio? Mas tédio, meus caros, é a coisa mais normal do ser humano. Sempre se entediando fácil. Sempre buscando suprir algo no fundo insaciável. Algo sem nome e sem forma. Sem face nem definição. Inalcançável. Algo escondido lá no mais interno das sombras e inconsciente adormecido. Esse “algo” é como um cão magro e faminto. Com um rasgo na barriga que impede a comida de chegar no estômago. Sempre com fome, devorando toda carne pela frente. Os dentes não páram. Ele agoniza de magreza. Não há carne sufiente. Nem se juntasse toda espécie de carne do mundo, em toda quantidade e variedade de sabores, tipos, temperos e preparações.

“Algo” aqui dentro cão que uiva! Tédio desse fundo magro no âmago. Mas sabe, a saída (ou desvio pelo meio) é o tempo todo ir pro extremo. Se o muito não satisfaz, que o grão satisfaça. Se a carne não satisfaz, que o sal satisfaça. O caminho do meio da desconstrução e sabor das pequenas partes. De inverter a visão e lamber os pedaços. Talvez assim nosso cão consiga digerir. Porções menores.

Não, não digo contentar-se com pouco. Digo que acabamos transformando bonitas coisas em “pouco”. E isso, ah! Isso é a maior morte de todas. Tédio? Não há como impedi-lo de vir as vezes. Mas Ela (aquela, também sem forma mas com nome de Felicidade) também vem. Vem na cor vermelha da carne, na textura macia ou crocante, nos flocos de pimenta em cima, na fumaça quente evaporando, no cheiro suculento de alho, manteiga e cebola…

…em tantos tais ditos “poucos”.

2 thoughts on “Taedium

  1. Querida, que tédio é esse? Carne, temperos, sorvete… Pra mim isso chama fome. Ah,Ah,Ah, meu amor está com fome. Fome que a comida não pode matar. Isso é ruim. Que tal ginástica, caminhada? Pode ajudar. Te amo muito.

    • Não. Não é isso. Ouvi uma música do João Bosco que fala de um relacionamento que acabou em tédio, nem brigas nem nada, acabou simplesmente pq os dois deixaram a relação cair no tédio, o estado de morte em vida. E daí pensei que na vida muitas coisas são assim. Quando menos esperamos estamos nesse estado. Em tudo, não só relacionamentos. Mas que isso é uma coisa do ser humano, sempre querer mais e mais e mais! Se o cabelo é liso ela quer cacheado, se conseguir que fique cacheado ela quer de outra cor, se ela pinta acaba vendo que a insatisfação continua. O que quero dizer é que queremos demais, e mesmo todo demais do mundo, nunca vai satisfazer nossos desejos.

      Por isso eu acho que um sensato caminho é observar as partes do todo. Porque o todo nunca é perfeito, mas olhando as partes pode se encontrar muita coisa boa e que enche de alegria.

      E lá no caso da música, o casal acabou em tédio pq deixou de ver as partes. Passou a considerá-las “coisas poucas”. Mas é “coisa pouca” a forma como ele acorda de cabelo engraçado? Ou a forma como ela fala suave? Ou o tique no andar divertido que só ele tem? Ou a textura do carinho dela?

      Só exemplos. To falando de coisas maiores. Não literais. E não só de relacionamento e nem só de mim. Quando escrevo, nem tudo é só meu, é sobre o ser humano.

      Beijos! Te amo

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s