Home

Memória afetiva…essa safadinha pregadora de peças, até um tempo atrás, me sussurrava que cactos eram seres sombrios. Em minha lembrança infantil, estavam eles lá, nas estantes escuras de madeira na sala e entre os confrontos familiares. Sentenciei na mente que eram plantas inimigas, de energia densa-lúgubre.

Os anos se passaram e cada vez mais, meus passos de vida própria, passeavam menos distante deles. Até que um dia, em que tarde não sei, em que sol não sei, com que humor e idade não sei, nos esbarramos. Vi pela primeira vez o serzinho fabuloso! Sorri. Era de um áspero macio, de um semblante expressivo, de uma forma precisamente retorcida à mão. Passei a observá-los, e eis que, desde então, um pequeno mundo de tapetes de espetos delicados com florzinhas brotando surgiu no espectro das coisas que amo.

Regurgitei toda dura memória afetiva-afetada e desenvolvi uma afável-afetuosa. Queria mesmo? Fazer uma parede toda com prateleiras recheadas de coleção de cactozinhos. Deslumbrante como eles conseguem em todos seus espinhos e rigidez, exalar a mais suave textura e meiguice. Devem ser os corações sempre hidratados…

Ah, seus cactos! Plantas, objetos de decoração, de desejo, de design, projetados em nobres detalhes. Como são graciosos!

4 thoughts on “Spike

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s